“Desafio sistémico” ao Estado de direito pode custar 13,3 mil milhões de euros à Hungria

Comissão Europeia deu luz verde ao Plano de Recuperação e Resiliência da Hungria, mas condicionou o acesso às verbas ao cumprimento de 27 “super-metas”.

Foto
O vice-presidente executivo da CE, Valdis Dombrovskis, ao centro, e os comissários para a Justiça, Didier Reynders, e para o Orçamento, Johannes Hahn EPA/OLIVIER HOSLET

As 17 medidas avançadas pela Hungria para corrigir as irregularidades e deficiências do seu sistema jurídico e no combate à corrupção, de forma a evitar uma suspensão parcial do financiamento comunitário, não convenceram a Comissão Europeia, que mantém a sua intenção de aplicar o novo regime de condicionalidade para travar transferências de milhares de milhões de euros para Budapeste.

Sugerir correcção
Comentar