Olhar (de) Maldoror

Até 27 de Novembro, o percurso e obra de Sarah Maldoror é evocado, na Cordoaria, em Sarah Maldoror: Cinema Tricontinental, primeira exposição dedicada à realizadora.

Foto
Rodagem de Armas para Banta (cortesia Annouchka de Andrade e Henda Ducados) Suzanne Lipinska

Sarah tinha 27 anos quando, em 1956, trocou o apelido Ducados pelo nome tomado de Os Cantos de Maldoror, de Lautréamont. Órfã cedo, descendente de escravos, (re)identificar-se como Maldoror — uma contração de “mal de horror” que, em francês, remete foneticamente, também e em toada de esperança, para aurora — radicou em querer ser ela a fazer e contar a sua história.

Sugerir correcção
Comentar