PCP ainda sente necessidade de justificar chumbo do OE2022 (que levou às eleições)

Líder parlamentar Paula Santos diz que o OE vendido como o “mais à esquerda de sempre” agravou, afinal, os problemas do país. Bernardino critica “liberais recauchutados”.

parlamento,politica,orcamento-estado,pcp,governo,
Fotogaleria
Paula Santos é líder parlamentar do PCP e membro da comissão política,Paula Santos é líder parlamentar do PCP e membro da comissão política NFS Nuno Ferreira Santos,NFS Nuno Ferreira Santos
parlamento,politica,orcamento-estado,pcp,governo,
Fotogaleria
A Conferência Nacional do PCP termina este domingo NFS Nuno Ferreira Santos

Um ano depois, ainda é preciso insistir na explicação das razões para o voto contra do PCP que motivou o chumbo da primeira proposta de Orçamento do Estado para 2022 e levou às eleições antecipadas de Janeiro. Foi o que fez Paula Santos, actual líder parlamentar, na manhã deste domingo, na sua intervenção na conferência nacional do partido: há um ano havia um conjunto de problemas para os quais o PCP exigia respostas ao Governo e, um ano depois, afinal até se agravaram, vincou.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários