PÚBLICO participa em projecto-piloto para explorar usos da Web3 no jornalismo

O PÚBLICO e a Reuters juntaram-se à Cogency, um projecto-piloto que explora os usos da Web3 na promoção da confiança no jornalismo e na criação de novos fluxos de receitas

Foto
Os resultados da investigação da Cogency ficarão registados num roteiro disponível para consulta pública Rui Gaudencio

O PÚBLICO é um dos vários órgãos de comunicação internacionais a juntar-se à Cogency, uma coligação criada para explorar os usos da blockchain e de outras tecnologias da Web3 na criação de novos fluxos de receitas e sistemas de confiança para os meios de comunicação social. A Reuters e a Condé Nast são outros dos membros a fazer parte desta iniciativa que junta jornalistas, engenheiros e académicos e é apoiada pela World Association of News Publishers (WAN-IFRA). O financiamento é da Web3 Foundation.

O principal objectivo da equipa é investigar como as instituições de comunicação social podem beneficiar das várias tecnologias descentralizadas que estão associadas ao movimento Web3 – essencialmente, a próxima versão da Internet que é mais aberta e mais transparente. A blockchain, que é conhecida por ser a tecnologia por detrás das criptomoedas, é uma parte essencial deste futuro.

Na base, a blockchain é uma base de dados distribuída que regista informação em blocos encadeados por ordem cronológica. O sistema é mantido pelo esforço colectivo dos vários computadores ligados à rede, depende de métodos de encriptação para funcionar e está concebido para que ninguém possa alterar a informação. Como os registos são públicos (todas as pessoas os podem ver), não é preciso uma entidade central a controlar o sistema.

Uma das ferramentas desenvolvidas pela Web3 Foundation é o Polkadot, um protocolo que permite que vários tipos de dados – e não apenas tokens, como criptomoedas – sejam transferidos através de blockchains.

“[Os parceiros escolhidos] representam uma excelente secção transversal de profissionais que estão interessados em criar soluções práticas utilizando o Polkadot e as suas tecnologias descentralizadas associadas”, avança, em comunicado, David Tomchak, líder na Cogency.

“Estamos orgulhosos de ter estado activamente envolvidos desde o início deste projecto e encantados por poder convidar membros interessados [da WAN-IFRA] a juntarem-se a nós. É crucial compreender desde logo as implicações da Web3 para os publishers no futuro.”

Há anos que se explora o potencial da blockchain para o jornalismo. A Civil, por exemplo, é uma startup que quer utilizar a blockchain para criar uma enorme rede descentralizada de informação que é usada por jornalistas e consumidores de media. No mundo do jornalismo, a blockchain também pode servir como uma forma de garantir que um autor é pago pelo seu trabalho, independentemente do número de vezes que a informação é partilhada.

Os resultados da investigação da Cogency ficarão registados num roteiro disponível para consulta pública.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários