Decolonizar a nossa imaginação

Os 250 artistas e as 380 obras de Histórias Brasileiras, através das micronarrativas que propõem e da sensibilidade e singularidade que materializam, obrigam a incluir na História todos e tudo quanto esteve escondido, invisível e silencioso. No Museu de Arte de São Paulo, Brasil, até 30 de Outubro.

Foto
Rodrigo Guedes da Silva

O título deste texto é uma citação de uma conversa do Ípsilon com a curadora Lilia M. Schwarcz numa visita à exposição Histórias Brasileiras. Uma citação que, de forma certeira, apresenta o propósito mais vasto em que se integram não só estas Histórias, mas também todo o trabalho que ela, com Adriano Pedrosa, tem vindo a desenvolver desde 2014.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários