Luís Montenegro, vamos acabar a conversa

Quando vemos o crescimento da extrema-direita e o desdramatizamos devemos lembrar-nos que equivale a desdramatizar ver alguém na heroína. Não, não se usa heroína de vez em quando e não se brinca com heroína.

Como temos vindo a falar, Montenegro prepara-se, e sobretudo prepara-nos, para uma aventura: chegar a um entendimento com o partido neofascista e racista. Os indícios nesse sentido são mais que muitos e o maior, e melhor, deles vem de André Ventura, que afirmou existir “um novo quadro de relação com o PSD”. Enquanto Luís Montenegro se vê constrangido a gerir a comunicação da sua cedência, André Ventura enche o peito para a anunciar. O primeiro cedeu, o segundo conquistou.

Sugerir correcção
Ler 28 comentários