Bruxelas coloca Malta em tribunal por causa dos “passaportes dourados”

Comissão Europeia lembra que os vistos dourados, embora diferentes dos regimes de concessão de cidadania, como o de Malta, colocam riscos idênticos de branqueamento de capitais e evasão fiscal.

Foto
Depois do primeiro regime de concessão de resigência, Malta criou um segundo, em 2020 Miguel Manso

Depois de abrir um processo de infracção, a Comissão Europeia decidiu colocar uma acção no Tribunal de Justiça da União Europeia (UE) contra Malta por causa da atribuição de cidadania a investidores estrangeiros através do regime dos “passaportes dourados”, por considerar que este programa compromete a essência da cidadania europeia.

Sugerir correcção
Comentar