Manuel de Almeida e José Afonso, reencontros devidos

Uma fotobiografia de Manuel de Almeida e mais uma reedição de José Afonso juntaram, em Setembro, a celebração de duas vozes ilustres.

Sendo Portugal um país de muitos Josés e Manuéis (ou Zés e Manéis, na gíria corrente), calhou Setembro ser mês de reencontros com dois deles, vozes ilustres. Do primeiro, Manuel de Almeida (1922-1995), foi lançada no dia 8 uma fotobiografia no Museu do Fado, de sala cheia, com a presença da autora, Maria de Lourdes de Carvalho (jornalista, radialista e autora de letras para fado), ladeada pelo fadista Rodrigo, em cuja casa de fados Manuel de Almeida cantou anos a fio, e pelo músico Rão Kyao, que produziu o disco de Manuel de Almeida Eu Fadista Me Confesso (1987), por sinal o título da fotobiografia agora lançada em Lisboa. Do segundo, José Afonso (1929-1987), sai agora no dia 30 mais um título da reedição definitiva da sua obra gravada, Coro dos Tribunais, disco registado e lançado em finais de 1974, mas composto por canções escritas antes do 25 de Abril desse ano, algumas em África, em 1967. A uni-los, além da coincidência destes lançamentos e do facto de serem ambos cantautores nos respectivos campos musicais, talvez a modéstia: nenhum deles dava grande importância à sua arte.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários