Concursos nacionais e colocação de professores: o insustentável peso da máquina

É este o sistema que o statu quo político e as corporações sindicais têm mantido. Porque é suposto ser justo e cego. Mas este argumento é uma falácia porque a igualdade é apenas formal e burocrática. E está longe de servir os interesses e os direitos dos alunos.

Um professor (ou um candidato a professor) concorre ao concurso nacional de colocação de professores. Escolhe as escolas onde quer e aceita ser colocado para os grupos de docência em que possui qualificação legalmente reconhecida. É graduado segundo dois critérios puramente administrativos: a classificação profissional obtida no termo da sua formação e o tempo de serviço.

Sugerir correcção
Ler 18 comentários