Cancelados concertos de Roger Waters na Polónia devido a posicionamento pró-russo

Ultraconservadores polacos querem que o músico britânico seja considerado persona non grata; Waters fala em “censura draconiana”. Digressão europeia que agora se vê privada da sua paragem em Cracóvia também passa por Lisboa.

Foto
A digressão europeia de Roger Waters passará por Lisboa Reuters/AMR ALFIKY

Dois concertos do músico britânico Roger Waters, que estavam agendados para o próximo ano na cidade polaca de Cracóvia, foram cancelados pela organização devido ao posicionamento do artista em relação à guerra na Ucrânia, noticia a agência Efe.

O músico de 79 anos iria actuar em Cracóvia em Abril do próximo ano, na sala de espectáculos Tauron Arena, mas, segundo adiantam alguns meios de comunicação da Polónia, as autoridades polacas pretendem declarar Roger Waters como persona non grata.

Entretanto, o co-fundador da banda Pink Floyd já escreveu nas suas redes sociais que não é responsável pelo cancelamento dos dois concertos.

Em causa estará o posicionamento de Roger Waters relativamente à guerra entre a Rússia e a Ucrânia, uma vez que atribui a responsabilidade pelo início do conflito bélico aos “nacionalistas extremistas” ucranianos.

O músico britânico critica ainda a NATO e o ocidente por fornecerem armas à Ucrânia.

Entretanto, deputados do partido ultraconservador polaco Lei e Justiça (PiS) já estão a pedir, através de uma proposta de resolução que será sujeita a votação na próxima quarta-feira, que se declarem persona non grata todos aqueles que apoiarem publicamente o Kremlin.

Os promotores desta proposta expressam a sua indignação com o posicionamento de Waters, tendo em conta “o ataque criminoso russo à Ucrânia e os crimes de guerra cometidos por soldados russos”.

Numa publicação feita este domingo no Facebook, Roger Waters escreveu que a iniciativa dos deputados polacos se deve aos seus esforços para que “todos os envolvidos na guerra desastrosa da Ucrânia, especialmente os Estados Unidos e a Rússia, procurem uma paz negociada”.

O músico classificou ainda o cancelamento dos dois concertos como “censura draconiana”, referindo que estava “ansioso por poder partilhar a sua mensagem de amor com o público polaco”.

Portugal está no calendário da digressão This Is Not a Drill, que agora se vê privada da sua paragem polaca. O músico britânico deverá subir ao palco da Altice Arena a 17 de Março, num concerto que dá o pontapé de saída a uma tournée europeia que passará por Itália ou pela República Checa. É a segunda vez que Waters escolhe começar por Lisboa.

Sugerir correcção
Ler 21 comentários