O fantasma de Bergman

Quatro semanas em Fårö, no Bergman Estate, um lugar onde o centro gravitacional é o silêncio. Vemos que ele gostava de escrever nos móveis e nas portas. Mas continuamos todos à procura do que não se vê.

Foto
Rodagem em Fårö de um dos mais estranhos e perturbantes filmes de Bergman, A Hora do Lobo Michael Ochs Archives/Lopert/Getty Images

Adormecemos ao som das ondas em Skrivstugan, a cabana onde foi filmada a cena da reconciliação entre Johan e Marianne em Cenas da Vida Conjugal (1973). Na manhã seguinte, uma visita guiada em Hammars, a casa de Ingmar Bergman, onde vamos poder trabalhar durante as próximas quatro semanas. Há outros convidados, de diferentes países, da área do cinema, da música, da literatura, da investigação — fomos todos escolhidos para uma residência no The Bergman Estate on Fårö. O objectivo é sermos inspirados pelo encanto natural e selvagem da ilha e pelos lugares onde Bergman viveu e trabalhou durante mais de 40 anos. O meu foco é a escrita do argumento da minha primeira longa-metragem, que será produzida pela Academia Alemã do Cinema e Televisão de Berlim.

Sugerir correcção
Comentar