O imposto sobre lucros extraordinários e a temível esquerda radical

O que mais será preciso para convencer um governo socialista a tributar lucros desmedidos e que até já foram chamados “imorais” pelo secretário-geral das Nações Unidas?

Quando começámos a falar de imposto sobre os lucros extraordinários das empresas ligadas ao sector da energia, aconteceu aquilo que vai sendo hábito: foi recebida como uma proposta de esquerda radical e as vozes do bom senso apontaram para o facto de que “já temos impostos que cheguem” ou “a esquerda não tem mais ideias do que criar impostos ou aumentar a carga fiscal”.

Sugerir correcção
Ler 35 comentários