Supertufão de Hinnamnor já é considerado o maior ciclone de 2022

Satélite Sentinela-3 obteve imagens da tempestade. Ciclone poderá atingir a península da Coreia ou o Japão em alguns dias.

Foto
Imagem obtida pelo satélite Sentinela-3 do supertufão Hinnamnor Sentinela-3/Programa Copérnico/União Europeia

Ainda não se sabe onde é que o supertufão Hinnamnor vai atingir a terra. Para já, o ciclone encontra-se no mar. A fotografia obtida pelo Sentinela-3 – satélite do Programa Copérnico, da Comissão Europeia –​, e aqui publicada, apanhou o tufão a 250 quilómetros a leste da ilha japonesa de Okinawa (que fica a sul das principais ilhas japonesas), no início desta quarta-feira, à 00h24 (hora de Lisboa).

Se a actual temporada de furacões no oceano Atlântico tem estado especialmente calma, a actividade no Pacífico tem sido mais intensa. O supertufão Hinnamnor já é considerado o maior ciclone tropical de 2022. Com ventos sustentados na ordem dos 250 quilómetros por hora e rajadas que se estimam ultrapassar os 300 quilómetros perto do olho do tufão, a força deste ciclone é equivalente à categoria 5 na escala Saffir-Simpson, aplicada aos ciclones do oceano Atlântico, segundo uma notícia de terça-feira do jornal norte-americano Washington Post.

Nos próximos dias, prevê-se que o furacão reduza a sua intensidade. O que ainda não se sabe é se irá atingir a península coreana ou o Sudoeste do Japão.

Sugerir correcção
Comentar