Ela disse, no LinkedIn, que era trabalhadora sexual. Eis o que aconteceu depois

Arielle Egozi publicou no LinkedIn a sua decisão de deixar um emprego como directora de marca para se dedicar ao trabalho sexual. A publicação viria a provocar uma onda de choque e reacender conversas sobre o trabalho sexual.

Foto
Arielle Egozi DR

Há cerca de um mês, Arielle Egozi decidiu publicar no LinkedIn a sua decisão de deixar um emprego como directora de marca para se dedicar ao trabalho sexual. Essa publicação viria a provocar uma onda de choque por todo o mundo e reacender conversas sobre o tema.

Sugerir correcção
Comentar