Artesanato cabo-verdiano, “uma profissão com power

Espelho e veículo do património e do quotidiano de Cabo Verde, o artesanato é um dos principais eixos da actividade cultural do país, cruzando criadores e população e desfazendo barreiras disciplinares. O novo Centro Nacional de Arte, Artesanato e Design promete solidificar e ampliar este trabalho.

Foto
Albertino Silva no seu atelier Queila Fernandes/CNAD

Num tabuleiro de xadrez feito em barro modelado, o artesão ceramista Djoy Soares (1967-2018) recria uma praça pública do Mindelo com os seus habitantes: vendedeiras e demais trabalhadores, namorados, foliões de San Jon (São João, em crioulo cabo-verdiano), o ocasional bêbado que se estatela no chão, famílias, reformados. “Olha, parece a avó!”, solta uma criança, enquanto observa diligentemente as figuras ali representadas.

Sugerir correcção
Comentar