Graças às “leis covid”, Cascais entregou 14 milhões sem concurso a empresa de brindes

“À luz do princípio da prevalência da vida humana, atrasar a resposta às necessidades de combate à pandemia, com vista à elaboração de estudos ou estimativas, afigura-se violador das obrigações a que qualquer decisor público se encontra vinculado”, argumentou autarca perante críticas do TdC.

Foto
Autarca refutou criticas do Tribunal de Contas Nuno Ferreira Santos

A Câmara de Cascais gastou mais de 14 milhões de euros por ajuste directo em aquisições relacionadas com o combate à pandemia feitas sempre à mesma firma, a empresa de brindes Enerre, que aproveitou o surgimento da covid-19 para se especializar em fornecimentos nesta área e usou mesmo uma segunda empresa para esse efeito, a Enerre Pharma, que antes de ter esta designação dava pelo nome de Brindtextil Print Solutions.

Sugerir correcção
Ler 10 comentários