Alunas das universidades negras sofrem mais com a reversão do aborto nos EUA

Muitas universidades dos Estados Unidos que se dedicam ao ensino de cidadãos negros estão espalhadas pelo Sul do país, em estados onde a minoria afro-americana se uniu e juntou esforços, na sequência da Guerra Civil, para ter acesso a uma educação superior.

Foto
Kalaya Sibley, de 20 anos, diz que não se vê a estudar Direito num estado do Sul dos EUA Amanda Andrade-Rhoades/The Washington Post

A decisão do Supremo Tribunal norte-americano de reverter a legalização do acesso ao aborto em todo o país, há um mês, vai afectar, de forma desproporcional, os alunos das universidades negras, devido à concentração daqueles estabelecimentos de ensino em estados que estão a restringir o acesso ao aborto.

Sugerir correcção
Comentar