Governo justifica recurso à PSP para reforçar fronteiras com “Brexit” e saída de 267 inspectores do SEF

Ministério da Administração Interna em resposta ao tribunal, no âmbito da intimação para defesa de direitos, liberdades e garantias interposta pelo Sindicato dos Inspectores de Investigação, Fiscalização e Fronteiras, alega que, entre 1 de Janeiro e 28 de Junho de 2022, foram controlados pelo SEF mais de 2,17 milhões de passageiros britânicos.

Foto
O número de passageiros controlados pelo SEF no período de um de Janeiro a 28 de Junho de 2002 foi superior ao de 2019 em cerca de dois milhões. Nuno Ferreira Santos

O Ministério da Administração Interna (MAI), além de contestar a intimação em tribunal do Sindicato dos Inspectores de Investigação, Fiscalização e Fronteiras (SIIFF) para defesa de direitos, liberdades e garantias, no âmbito do processo de extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), apresenta todos os argumentos que considera que justificam o reforço dos postos de fronteira com recurso a elementos da PSP. Na base da argumentação que foi enviada ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra estão o “Brexit”, saída do Reino Unido da União Europeia (UE) e a saída durante os anos de 2020-2021 e até à presente data de 267 elementos só da carreira de investigação e fiscalização do SEF.

Sugerir correcção
Comentar