A morte de José Eduardo dos Santos poderá ter interrompido o processo de reaproximação em curso

A crise económica e a incapacidade de recuperar a grande maioria do capital no estrangeiro, centro da sua campanha contra a corrupção, terá levado João Lourenço a procurar normalizar as relações com o seu antecessor, muito tensas até certa altura do seu mandato.

Foto
José Eduardo dos Santos deixou a presidência do MPLA a João Lourenço em Setembro de 2018, um ano depois de deixar a chefia do Estado Ampe Rogério/LUSA

Discreto, sem prestar declarações públicas, como foi sempre seu apanágio, José Eduardo dos Santos voltava pela porta grande em Setembro do ano passado, depois de dois anos a residir em Barcelona. As tensões políticas com o seu antecessor, que o levaram a fixar-se em Espanha, pareciam estar no caminho da superação.

Sugerir correcção
Ler 5 comentários