“Regresso à normalidade”? Taxas de retenção e de abandono no ensino básico voltam a níveis anteriores à pandemia

Depois da queda a pique em 2019/20, indicadores sobem pela primeira vez em oito anos. O 12.º ano é o único em que há uma diminuição dos “chumbos”, resultado das regras dos exames.

Foto
Os números de 2021 agora conhecidos “não diferem muito” dos de 2019, nota o coordenador do Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar, José Verdasca Daniel Rocha

As taxas de retenção e abandono subiram em todos os níveis de ensino, à excepção do 12.º ano, em 2020/21. É a primeira vez em oito anos que estes valores sobem, mas a percentagem de alunos que não concluíram o ano está em linha com o que verificava antes da pandemia de covid-19 e consegue manter a tendência positiva que vinha de trás.

Sugerir correcção
Ler 18 comentários