Entre a guerra, a seca e a fome, uma criança somali tenta “caçar” a sua refeição todos os dias

Bashir Nur Salat, de 11 anos, é migrante em Dollow, na Somália, e não conseguiu inscrever-se na escola, lugar onde a maioria das crianças consegue obter alimento. Com subida dos preços, a seca extrema e a guerra, comer todos os dias é uma missão quase impossível.

Foto
Reuters/FEISAL OMAR

Todas as manhãs, na vila fronteiriça na Somália, Bashir Nur Salat, de 11 anos, planeia a sua missão diária, atrás uma cerca de arame. Armado apenas com a camisola amarela de um amigo, um livro emprestado e um sorriso, vislumbra o prémio através da rede: o almoço.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários