Menos fogos, menos área ardida e menos mortos em 2021. “Para isto ser sustentável é preciso envolver os proprietários privados”

Responsável da Agência de Gestão Integrada de Fogos Rurais diz que sem o envolvimento dos proprietários o caminho será mais lento e difícil. E esse papel cabe, sobretudo, ao Parlamento, defende.

Foto
A maior parte da floresta nacional pertence a privados, pelo que o seu envolvimento é essencial para acelerar uma melhor gestão do território e dos fogos Adriano Miranda

As alterações introduzidas à gestão dos fogos, depois dos trágicos incêndios de 2017, começam a dar frutos, mas esta ainda se debate com problemas difíceis de solucionar. Nota-se uma mudança de comportamento das populações, sobretudo nos dias de maior risco, há mais trabalho feito na gestão das faixas de combustível, nas zonas mais vulneráveis, e a eficácia no combate ao fogo parece ter crescido.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários