A lição de vida de Paula Rego às gerações que vieram depois

Hoje, é nas jovens artistas, e mesmo nas muito jovens artistas, que eu encontro as herdeiras da obra imensa de Paula Rego.

Quando pensamos na obra imensa de Paula Rego, é inevitável imaginarmos já, escassas horas depois do comunicado triste da sua morte, no que dela fica para as gerações de artistas que se lhe seguem. É certo que a sua obra e o seu estilo são inimitáveis, centrados primeiro na desconstrução e na colagem da figura, numa interpretação já muito pessoal daquilo que eram as novas figurações surgidas na Europa do pós-guerra; e, mais tarde – resumindo muito sucintamente a versatilidade da sua criação plástica –, na adopção definitiva da linguagem e da gramática clássicas. Não para refazer, à exaustão, os mesmos temas e a mesma narrativa veiculada por toda a história da arte, mas justamente para a refazer e nos apresentar uma narrativa menos truncada e sectária.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários