TAP quer devolver dinheiro aos contribuintes “o mais depressa possível”

Presidente da TAP não se compromete com datas e diz que empresa enfrenta desafios como o aumento das taxas de juro, da inflação e dos combustíveis, que contabiliza em 300 milhões.

Foto
António Cotrim/Lusa

A presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, garante que a transportadora quer devolver o dinheiro que recebeu do Estado “o mais depressa possível”, mas reconhece que há “muitos desafios” no caminho – incluindo o aumento do custo do combustível, que diz ser de 300 milhões de euros.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Ler 19 comentários