Há mais pessoas hoje sem médico de família do que quando Governo tomou posse, em 2015. São 1,3 milhões

Universo de pessoas sem médico de família já é superior ao herdado pelos socialistas no final de 2015. Aposentações, incapacidade de reter muitos dos jovens especialistas e aumento de inscritos nos centros de saúde explicam o deteriorar da situação.

Foto
Promessa de Costa sobre médicos de família não foi cumprida Paulo Pimenta

Há cada vez mais cidadãos sem médico de família. No final de Abril, eram quase 1,3 milhões, um universo superior ao que os socialistas herdaram no final de 2015, quando António Costa tomou posse como primeiro-ministro pela primeira vez. Em Dezembro desse ano, segundo os dados da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), perto de 1,045 milhões de pessoas não tinham médico de família atribuído, 10,3% do total de utentes então inscritos nos centros de saúde.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários