Fátima Alçada já não é directora artística da cooperativa Oficina, que dá o cargo como extinto

A programação dos vários equipamentos culturais tutelados pela cooperativa passará a ser assumida pelos responsáveis de cada um um dos espaços: Centro Cultural Vila Flor, Centro Internacional de Artes José de Guimarães, Casa da Memória, Teatro Oficina e Palácio Vila Flor.

Foto
A saída de Fátima Alçada “não está relacionada com factores económicos ou com a avaliação do desempenho”, diz o presidente d’A Oficina Adriano Miranda

Menos de dois anos depois de ter assumido o cargo de directora artística d’A Oficina, cooperativa responsável por vários equipamentos culturais de Guimarães, Fátima Alçada está de saída, confirmaram ao PÚBLICO a própria e o presidente da cooperativa, Paulo Lopes Silva.

Sugerir correcção
Comentar