Aumentaram os mortos de Lisboa que ninguém vela

Os números de 2020 já tinham sido altos, os de 2021 superaram-nos. Houve mais pessoas a pedir ajuda à Santa Casa para pagar funerais de familiares e desde 2009 que não havia tantos corpos não reclamados na cidade.

Foto
Na estatística incluem-se os enterros das pessoas cujo corpo não foi reclamado, geralmente sem-abrigo ou indigentes que morrem completamente sozinhos. Também há alguns casos de crianças e nados-mortos Mário Cruz

Tinha-lhe sido diagnosticada uma esquizofrenia e vivia “muito no seu mundo”. Apesar disso, “ainda era bastante independente” quando foi acometido por problemas graves no estômago. M., um homem na casa dos 60 que se mudara de Angola para Chelas depois de 1974, passou os dois últimos anos de vida a precisar de apoio.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários