Bactérias. Sabia que são essenciais para a perda de peso?

Sim, leu bem. Há bactérias, no nosso intestino, que actuam no controlo do apetite, gerando a sensação de saciedade. Quando existe um desequilíbrio ao nível destas bactérias, é mais difícil manter ou perder peso. Quer saber como conseguir uma microbiota intestinal equilibrada?

Foto

É sabido que o excesso de peso e a obesidade implicam um risco acrescido para o desenvolvimento de várias doenças, como a diabetes, doenças cardiovasculares, musculoesqueléticas, doenças neurodegenerativas e alguns tipos de cancro[1]. Por uma maior longevidade e uma vida mais saudável, chegar ao peso ideal para a sua altura é essencial.

Mas, para algumas pessoas, atingir e manter um Índice de Massa Corporal (IMC) normal – o indicador que demonstra se o peso é adequado à altura –, parece algo impossível de alcançar. A verdade é que o problema pode residir no intestino e a solução está nas bactérias probióticas.

No intestino habitam triliões de microrganismos, como bactérias, fungos, vírus e protozoários. Juntos, formam a microbiota intestinal, e o seu bom funcionamento, permite a monitorização e controlo do equilíbrio metabólico e dos gastos energéticos. Quando a nossa microbiota intestinal está desequilibrada ocorre a disbiose, um fenómeno em que o intestino é incapaz de regular o apetite, a saciedade e o armazenamento de energia[2].

Foto

Para garantir o equilíbrio da microbiota intestinal, são essenciais as enterobactérias (como, por exemplo, a estirpe probiótica Hafnia alvei HA4597®), pois produzem uma proteína – a ClpB –, que actua no controlo do apetite, eliminando a fome e gerando a tão desejada sensação de saciedade (essa que nos ajuda a não cair em tentação e, assim, conseguir manter ou perder peso)[3].

Essa ideia de satisfação, que nos leva finalmente a arrumar os talheres, é uma reacção química que resulta de um dinâmico e complexo sistema de comunicação entre o cérebro e o intestino, cujo bom funcionamento também depende da composição da comunidade microbiana intestinal3. Quando no intestino habita um nível ideal de enterobactérias, será capaz de enviar mensagens ao cérebro indicando que estamos saciados, ajudando desta forma a controlar o apetite2.

Mas como conseguir um bom funcionamento da microbiota intestinal?

Segundo a Sociedade Europeia de Neurogastrenterologia e Motilidade, no intestino vivem cerca de 100 mil milhões de microrganismos (valor referência para uma pessoa que pese cerca de 70 quilos), o que torna a microbiota intestinal o maior ecossistema de microrganismos do corpo humano. Estudá-la tem sido um desafio para a comunidade científica, mas, após 15 anos de investigação na área do equilíbrio metabólico, a BIOCODEX conseguiu chegar a uma fórmula que garante o aporte necessário da estirpe probiótica exclusiva de enterobactérias Hafnia alvei HA4597®.

Trata-se de SYMBIOSYS Satylia®, um suplemento alimentar que além da estirpe probiótica Hafnia alvei HA4597®, contém os minerais essenciais zinco e crómio.

Se já conhecemos os benefícios da estirpe probiótica Hafnia alvei HA4597®, importa lembrar que o zinco contribui para o normal metabolismo dos macronutrientes (como hidratos de carbono e ácidos gordos), e o crómio ajuda na manutenção dos níveis normais de glicose do sangue. São, assim, excelentes aliados para quem procura manter ou perder peso.

Assim, fica claro que enriquecer o seu organismo com a estirpe probiótica Hafnia alvei HA4597®, com a ajuda de SYMBIOSYS Satylia, conjugado com um regime alimentar saudável e exercício físico, conseguirá uma microbiota saudável. É o seu aliado na perda do peso* para uma vida saudável e o mais longa possível. Mas se ainda restarem dúvidas, saiba que SYMBIOSYS Satylia® tem disponível uma linha totalmente gratuita com uma nutricionista, para o esclarecer sobre este produto e falar sobre alimentação.


SYMBIOSYS® Satylia. SUPLEMENTO ALIMENTAR. O efeito benéfico é obtido com a toma diária de 2 cápsulas. Para mais informações consultar a rotulagem. Contacto: Biocodex Unipessoal Lda., Avenida Da República 18, 11°, 1050-19 Lisboa, NIPC 515036684. Email:info@biocodex.pt. Tel:211319134

* O Zinco contribui para o normal metabolismo dos macronutrientes (incluindo hidratos de carbono e ácidos gordos) e o Crómio contribui para a manutenção dos níveis normais de glicose no sangue.

ST.0044/2021


[1] Blüher M. Obesity: global epidemiology and pathogenesis. Nat Rev Endocrinol. 2019;15(5):288-298

[2] Lee Clare J et al. Gut microbiome and its role in obesity and insulin resistance. Ann N Y Acad Sci. 2020;1461(1):37-52.

[3] Lucas, Nicolas et al. “Hafnia alvei HA4597 Strain Reduces Food Intake and Body Weight Gain and Improves Body Composition, Glucose, and Lipid Metabolism in a Mouse Model of Hyperphagic Obesity.” Microorganisms vol. 8,1 35. 23 Dec. 2019, doi:10.3390/microorganisms8010035

Sugerir correcção
Comentar