Estudantes pedem a Marcelo que intervenha no braço-de-ferro sobre dinheiro para residências

Ainda não há entendimento no Governo sobre a forma como serão canalizados os 375 milhões de euros para alojamento estudantil previstos no Plano de Recuperação e Resiliência. Federação Académica de Lisboa pede ao Presidente da República que evite “erro” que seria transformar a verba em empréstimo.

Foto
Os 375 milhões de euros previstos no PRR devem financiar cerca de 15 mil camas Nelson Garrido

Os estudantes do ensino superior de Lisboa pediram ao Presidente da República que intervenha no braço-de-ferro que opõe os ministérios das Finanças e do Ensino Superior sobre a forma como serão canalizados os 375 milhões de euros previstos no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para alojamento estudantil. Numa carta enviada a Marcelo Rebelo de Sousa esta terça-feira, a Federação Académica de Lisboa (FAL) pede que se tente evitar o “erro” que seria transformar os fundos europeus num empréstimo às universidades e politécnicos.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários