A formação de professores é entretenimento?

Ordens e sindicatos têm de cumprir todos os requisitos científico-pedagógicos exigidos às restantes entidades.

Sob o título Reformar urgentemente a formação de professores em Portugal, Carlos Ceia publicou há dias um artigo de opinião, neste jornal, no qual tece algumas considerações e apresenta algumas sugestões sobre o atual modelo de formação contínua de professores com as quais até posso concordar. Aliás, eu não sou o maior defensor desse modelo e até sou relativamente crítico em alguns dos seus aspetos.

Sugerir correcção
Comentar