Até 15 de Novembro foram assassinadas, pelo menos, 23 mulheres em Portugal

Destes crimes, 13 foram cometidos em contexto de intimidade, por alguém que mantinha ou mantivera uma relação íntima com a vítima. Números baixaram ligeiramente em relação a 2020, mas não se pode ver aí uma tendência.

Foto
Muitas destas mortes acontecem em contexto de intimidade e depois de situações conhecidas de violência doméstica Adriano Miranda

Em casa e às mãos de familiares, seja ou não em contexto de intimidade. Ainda é sobretudo assim que são assassinadas as mulheres em Portugal. Mulheres como Ana, Beatriz, Carmo, Lígia, Olívia ou Teresa, a quem o Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA) dedica o relatório preliminar sobre este crime, com dados entre 1 de Janeiro e 15 de Novembro, e que dão conta de 23 mortes. Este ano houve uma diminuição do número de vítimas, mas isso não pode ser encarado como uma tendência.

Sugerir correcção
Ler 11 comentários