A covid-19 pôs fim aos beijinhos e abraços? “Arranjaremos sempre formas de nos voltarmos a tocar”

A pandemia de covid-19 obrigou-nos a mudar comportamentos, hábitos e rituais. Mas será que a nossa dinâmica social foi para sempre alterada? O P3 falou com duas especialistas em epidemiologia e psicologia social que explicam como mudaram os nossos comportamentos e a relação com o outro e quais são as perspectivas para o futuro.

Foto
Duas mulheres a abraçarem-se Eva Blanco / EyeEm / Getty Images

Cumprimentar estranhos com beijos na cara, soprar velas de aniversário, fazer mimos a cães desconhecidos, tocar na mão de um bebé, partilhar copos ou cigarros ou entrar num hospital sem máscara. A pandemia de covid-19, que continua a avançar pela Europa, obrigou-nos a mudar comportamentos, hábitos e rituais. Mas será que a nossa dinâmica social foi para sempre sacrificada, culpa daquele vírus que tantas vezes vimos ilustrado com uma coroa de espinhos à sua volta?

Sugerir correcção
Comentar