HERDADE GRANDE: A inovação que vem de dentro

A Herdade Grande, na Vidigueira, é um dos mais tradicionais produtores de vinhos portugueses. Mariana, representante de uma das gerações mais novas da família Lança, sentiu que era possível fazer mais. E o vinho abriu um mundo que vai muito para além dele.

A história da Herdade Grande é a quarta de sete histórias que contamos no projecto Construir o Presente. Uma série documental, patrocinada pela Google, que retrata histórias reais de empresas portuguesas que estão a construir o presente com os olhos postos no futuro, através da utilização das ferramentas digitais Google. Acompanhe esta série em vídeo, artigo e podcast.


Honrar o que de mais genuíno a terra oferece. É este o mote da Herdade Grande. O ano é 1920. É o ano em que um agricultor alentejano - Ernesto dos Santos Lança de seu nome -, se encantou por uma terra na Vidigueira. Aí estabeleceu a Herdade Grande, fixando-se numa terra que, cem anos depois, a sua família ainda não deixou.

São já quatro gerações que marcam o centenário da Herdade Grande. Mas foi António Lança, Engenheiro Agrónomo e hoje o proprietário da Herdade Grande, que olhou para o vinho directamente como um negócio. Em 1980, apostou na plantação de novas vinhas, que viriam a revelar-se decisivas para o sucesso e reputação da Herdade Grande. Em 1997, António evoluiu para produtor engarrafador, tendo chegado ao mercado o primeiro vinho da casa. “Eu comecei este projecto como o quarto produtor particular do Baixo Alentejo”, recorda António, que atribui grande parte do sucesso ao solo e clima da região, mas igualmente à “técnica utilizada e que caracteriza a Herdade Grande”. 

A Vidigueira é, de resto, uma zona especial. Às elevadas amplitudes térmicas juntam-se também solos pobres, marcadamente xistosos. Com esta mistura, geram-se condições únicas para a produção de vinhos de carácter e elegância singulares. É essa, também, a maior característica identificada por Mariana, filha de António e com um mestrado em Viticultura e Enologia. Hoje directora-geral e responsável pelos destinos da empresa, Mariana destaca “a seriedade e autenticidade” dos vinhos da Herdade Grande. Mas, para Mariana, isto não chegou. Era preciso mais. E mais foi feito. “A mudança é algo fundamental nos tempos em que vivemos”, admite a própria.

Deixar as ideias respirar

A nova era com Mariana ao leme dos destinos da Herdade Grande mostrou-se essencial. Quem o diz é o seu pai, António, que destaca “a juventude, os seus conhecimentos técnicos e a sua enorme vontade de fazer coisas diferentes e bem-feitas” como as maiores qualidades que este sangue novo traz para o projecto.

Para Mariana, o vinho continua a ser a peça fulcral da empresa e quer ver a Herdade Grande como uma produtora reconhecida por fazer “vinhos sérios”, mas inovadora o suficiente para criar “a expectativa de que vão criar algo novo”. “Temos actualmente 60 hectares de vinha e estamos também a caminho dos 60 hectares de olival”, conta a actual directora-geral, que explica também que ter duas culturas é fundamental para o negócio, uma vez que ter duas épocas de colheita em alturas distintas do ano (acaba uma e começa outra) é importante “particularmente em mão-de-obra, para que possamos rentabilizar todo o ano e para que haja eficiência”.

A Herdade Grande está fundada em 1920. Atravessa quatro gerações da família Lança.
Além dos vinhos, a Herdade Grande é também produtora de azeites.
A Herdade Grande está inserida na Rota dos Vinhos do Alentejo, naquela que é considerada uma das melhores regiões de enoturismo do Mundo.
Fotogaleria

Em paralelo com a rentabilização máxima da Herdade Grande nas suas vertentes tradicionais, Mariana cedo se dedicou a outros projectos para rentabilizar também a marca. Como é que o caso do Enoturismo, que António considera ter sido uma mais-valia durante a pandemia, onde a Herdade Grande mostrou que se consegue reinventar se necessário, sempre com um toque próprio: “a quantidade de oferta é tão grande que não podemos fazer igual, temos de fazer diferente”. “Temos trabalhado de uma forma mais dedicada nos últimos tempos na questão do enoturismo e das experiências familiares que proporcionamos aos consumidores”, diz Mariana, que considera o projecto como um dos exemplos daquela que é a bandeira da empresa: “aliar sempre aquilo que é a tradição com a inovação”. Um projecto que, claro, vive muito também do sítio onde se insere: na Rota dos Vinhos do Alentejo, considerada uma das melhores regiões de enoturismo do Mundo. Para Mariana, o Alentejo no geral ainda tem “tudo para oferecer” e “com a calma que transmite, consegue proporcionar uma óptima experiência com vinhos, no nosso caso, misturando alguns petiscos típicos da região e acho que isso será o futuro”. E isto não significa perder o foco - a Herdade Grande será sempre uma casa de vinhos.

Com o produto finalizado e aprimorado com o passar dos anos e, agora, com o projecto de turismo iniciado e em funcionamento faltava a última componente - trazer pessoas à Herdade Grande. Será que bastou um convite?

Uma porta digital aberta para o mundo

Outra das ambições de Mariana Lança era trazer a Herdade Grande para o mundo digital. Reconhecendo à partida que “a visão digital representa uma grande importância na geração de hoje”, Mariana queria fazer uso das ferramentas digitais para atrair novos clientes - mais do que casuais, que fossem seguindo o negócio lado a lado com as suas novidades. Com esta ambição, um dos pontos de entrada da Herdade Grande foram os produtos Google, onde destaca a importância de serem “ferramentas que são uma mais-valia por si só, mas principalmente porque se adaptam a qualquer negócio e a qualquer dimensão de projecto”.

Foto
Mariana Lança, Directora-geral, e António Lança, Administrador/Produtor da Herdade Grande

Desta forma, a escolha mais óbvia para a Herdade Grande para potenciar o enoturismo foi a ferramenta gratuita Google My Business. Esta entrada, conta Mariana, “é feita para nos referenciarmos e localizarmos, estando dentro de uma plataforma que acaba por mostrar os nossos serviços e aquilo que oferecemos”. Em simultâneo, esta plataforma traz outro aspecto, até agora quase inacessível, que é reunir no mesmo espaço as avaliações que os consumidores fazem sobre a sua experiência, que permite “contacto directo com as reviews e conseguir ter logo a validação do consumidor daquilo que temos de bom”.

Este não era, contudo, território totalmente desconhecido. Mariana conta que “em parte, tinha ideia do impacto que isto pudesse ter”, mas que efectivamente só se comprovou “quando nos chegam pessoas aqui e nos mostram que foi através do Google”. “Temos dados dos últimos 4 meses com cerca de 15 mil visualizações na plataforma e, neste momento, a maior parte das pessoas chega-nos através desse caminho”, revela a própria.

E, desta forma, a Herdade Grande atinge um dos objectivos da sua nova vida com esta nova geração: atingir mais consumidores satisfeitos e fieis. “O Google My Business trouxe-nos pessoas à Herdade Grande”, afirma Mariana, pessoas que “provam, compram e voltam noutra altura a querer provar mais - e aí criámos um consumidor fiel à nossa marca e à nossa identidade”. A prova de que um brinde pode ir do digital à vida real.


Oiça também o podcast: