COP26 fecha com passos positivos, mas longe do necessário

Ninguém queria sair de Glasgow sem um acordo, mas ninguém sai satisfeito. Ainda assim, partes consideram que resultados mantêm vivas as metas do Acordo de Paris, que viu, finalmente, a sua regulamentação fechada.

Foto
O presidente da COP emocionou-se no final Reuters/YVES HERMAN

A COP26 terminou este sábado à noite, com uma reviravolta de última hora. O Pacto Climático de Glasgow conseguiu manter na sua declaração uma referência aos combustíveis fósseis, mas deixou de prever o fim do uso de algum carvão, como estava escrito na declaração levada para a sessão de encerramento, para se contentar apenas com uma “diminuição” do seu uso. Uma sugestão de última hora, apresentada pela Índia, que o presidente da COP26, Alok Sharma, aceitou, para não perigar a aprovação de um acordo que a maior parte considera ser um passo certo, mas insuficiente para manter viva a meta do Acordo de Paris de limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsius, até ao final do século.

Sugerir correcção
Ler 5 comentários