Reaberto inquérito à morte de Danijoy na prisão. “É preciso que a família tenha paz”, diz ministra

Depois da mãe de Danijoy Pontes ter dito que há colegas que viram sangue na cela do filho, serviços prisionais reabriram inquérito. Ministra Francisca Van Dunem acredita que duas mortes na mesma ala, no mesmo dia, foi “coincidência”, mas considera que é necessário que o Estado “faça tudo para esclarecer”. Reconhece que cadeia de Lisboa tem más condições e deve fechar.

prisoes,ministerio-justica,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Danijoy Pontes tinha 23 anos Rui Gaudencio
prisoes,ministerio-justica,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Daniel Rodrigues tinha 37 anos Nuno Ferreira Santos

A Direcção-Geral de Serviços Prisionais (DGRSP) reabriu o inquérito sobre a morte de Danijoy Pontes, no dia 15 de Setembro, no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL). O processo de averiguação feito pelo Serviço de Auditoria e Inspecção Sul tinha sido arquivado por se ter considerado que não havia indícios de crime. Também o Ministério Público arquivou os inquéritos à morte de Danijoy Pontes e de Daniel Rodrigues, no mesmo dia, na mesma ala, por considerar que não teria ocorrido um homicídio.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários