INSENSATO: Das palavras aos actos

Selma e Gabriel toda a vida trabalharam em comunicação. No meio de uma pandemia resolveram levar as palavras à letra, deixar Lisboa e abrir um café-livraria em Tomar. Um acto… Insensato. Mas que correu bem.

A história do INSENSATO é a primeira de sete histórias que contamos no projecto Construir o Presente. Uma série documental, patrocinada pela Google, que retrata histórias reais de empresas portuguesas que estão a construir o presente com os olhos postos no futuro, através da utilização das ferramentas digitais Google. Acompanhe esta série em vídeo, artigo e podcast.


Gabriel Mendes e Selma Manjee sempre viveram no meio de palavras. Gabriel trabalhou toda a vida em meios de comunicação social ou agências de comunicação, enquanto Selma fez uma carreira muito ligada ao Marketing. Em tempos de pandemia o casal resolveu comprometer-se a sério com as palavras… mas também numa mudança de estilo de vida, já há muito desejada por ambos. “Eu sempre quis ter um espaço meu”, confessa Selma, que durante o ensino superior trabalhou paralelamente a ajudar em restaurantes e cafés - uma paixão que tinha deixado para trás. Para Gabriel, a pandemia acabou por ser mesmo o maior alerta. “Esta ideia surgiu quando começámos a ficar muito tempo fechados em casa e aborreceu-me essa rotina, onde me senti cada vez mais isolado”, disse. E foi daí que surgiu a grande mudança. “Aí pensei: ‘Preciso de uma vida diferente!’” - foi assim que Gabriel definiu o início do projecto.

De Insensato só o nome

Foi um acto… Insensato? Numa altura em que, fruto de uma pandemia mundial, no espaço de menos de um ano, o país se viu inserido em dois confinamentos de mais de três meses poucos foram aqueles a quem surgiu a ideia de abrir novos negócios. Muito menos quando estamos a falar da área da restauração, uma das mais afectadas por este período. Mas isso não impediu Gabriel e Selma de sonharem. Gabriel conta que “queria ter uma livraria e a minha mulher queria ter um café e pensámos em juntar os dois”. Para Selma, foi a “junção de duas paixões”.


Mas esta decisão não foi recebida com todo o entusiasmo. Embora tenham dado todo o seu apoio, família e amigos de Gabriel e Selma foram avisando para as condicionantes: uma área de negócio competitiva, num sector que estava ainda em mau estado e, acima de tudo, que esta era uma altura pouco dada a riscos. Insensato, foi a palavra que mais ouviram durante o período de reflexão. E Insensato foi o nome que escolheram. “Demorámos imenso tempo a escolher um nome para dar ao café-livraria; acabámos por escolher o nome Insensato porque todas as pessoas nos diziam que era Insensato abrir um negócio de restauração em tempos de pandemia”, explica Selma, entre risos.

Mas, como se não bastasse, nem só ter um negócio foi a novidade do casal. Mudaram também de cidade para o fazer. E Tomar, cidade natal de Gabriel, foi o sítio escolhido. Selma assume que sempre quis viver numa cidade mais pequena, onde pudesse “estar mais próxima de toda a gente, conhecer as pessoas, conhecer os vizinhos e, neste caso, até conhecer os clientes”. Um desejo que Gabriel também partilhava. “Pensei que ter este café-livraria também podia ser um impulso para ter uma vida mais sociável, mais em comunidade, em vez de ter uma vida de trabalho típica de computador e de escritório”, diz Gabriel, feliz pela sua decisão.

O INSENSATO café-livraria localiza-se em Tomar. Fotografias ©Tworlds Productions
Gabriel Mendes e Selma Manjee, fundadores do INSENSATO. Fotografias ©Tworlds Productions
Fotogaleria
Fotografias ©Tworlds Productions

E a mudança não podia ter sido mais diferente. É a própria Selma a admiti-lo, quando diz que nas suas vidas “mudou praticamente tudo”. Viviam juntos na zona de Lisboa, onde para chegarem aos respectivos escritórios se desdobravam entre carro próprio ou transportes públicos, numa realidade que queriam deixar para trás. Agora, vivem “literalmente ao lado do trabalho”, diz Gabriel, que destaca também o pouco tempo que demorou a criar raízes: “em quatro meses que cá estamos já conhecemos os vizinhos todos”.

Dar sabor às palavras

Com a mãe cozinheira, Selma sentiu que cresceu “entre tachos”. Mas, da mesma forma, também a família de Gabriel era ligada à restauração. Assim, o Insensato, enquanto café-livraria, para Gabriel acaba por ser também uma extensão disso. “As nossas famílias sempre estiveram ligadas à restauração, nós já tínhamos essas vivências, e, portanto, parece que fazia também sentido nós completarmos esse ciclo”, concluiu. O elemento da livraria, para além da paixão própria, era algo que já tinham visto noutros países: “fomos viajando e fomos visitando sítios assim ao longo do tempo e achámos logo um conceito interessante, que podia fazer sentido também para nós”.

No Insensato, o conceito é simples. Uma grande parede apresenta-nos a parte da livraria, dividida entre edições de clássicos e últimos lançamentos, escolhas feitas por Gabriel. O resto do espaço, mais dedicado a café, tem uma decoração cuidada, com objectos mais tradicionais - onde não podia faltar uma máquina de escrever - que se juntam a pormenores mais modernos, mas o grande segredo está mesmo no ambiente que se vive. “A simpatia e a qualidade dos produtos é importantíssima”, mas para Selma a grande diferença “é mesmo a proximidade com as pessoas”.

No Insensato café-livraria, uma grande parede apresenta-nos a parte da livraria, dividida entre edições de clássicos e últimos lançamentos, escolhas feitas por Gabriel. Fotografias ©Tworlds Productions
O espaço tem uma decoração cuidada, com objectos mais tradicionais - onde não podia faltar uma máquina de escrever - que se juntam a pormenores mais modernos. Fotografias ©Tworlds Productions
O espaço tem uma decoração cuidada, com objectos mais tradicionais - onde não podia faltar uma máquina de escrever - que se juntam a pormenores mais modernos. Fotografias ©Tworlds Productions
No lado do café, o menu gira em torno de sumos naturais, chás, cafés, bolos e outras refeições ligeiras. Fotografias ©Tworlds Productions
Fotografias ©Tworlds Productions
Fotogaleria
Fotografias ©Tworlds Productions

A oferta gira em torno de sumos naturais, chás, cafés, bolos e outras refeições ligeiras. Um menu pensado ao pormenor e concebido por Selma, que admite um “cuidado extremo” em todos os pratos criados. “Tento ser inovadora, sempre tendo em conta o sabor e as texturas”, completou, assegurando que a maior receita para o sucesso é mesmo “fazer as coisas com dedicação”.

Um click essencial

Mesmo com o seu espírito insensato, Gabriel e Selma precisariam sempre de alguma ajuda. Nomeadamente, na forma em que dão a conhecer o seu espaço aos vizinhos ou turistas que passam por Tomar. Isto toma particular relevância numa época em que nem os horários eram previsíveis - estando sujeitos a mudanças regulares, consoante ordens do Governo para controlo da pandemia. E foi aí que surgiu uma ajuda preciosa: o Google My Business “para dar as informações relacionadas com o negócio”.

Ainda para Gabriel, a grande vantagem desta ferramenta gratuita surge mesmo na facilidade em manter os clientes informados sobre o dia-a-dia do Insensato, sendo um sítio onde pode “actualizar constantemente e as pessoas ficam logo a perceber o horário, o menu e as reviews que outros clientes deixam”. Este é, também, um ponto decisivo para Selma. Com uma avaliação feita por clientes de 4.7 (a avaliação no Google My Business varia entre 0 e 5 estrelas), Selma diz ser “bastante recompensador ler os comentários”, sentindo-os como “uma conquista de toda a equipa” e que a deixa “muito lisonjeada”, considerando o Google My Business “sem dúvida um factor essencial para trazermos novos clientes”.

E a interacção e feedback dos clientes na plataforma já levou inclusivamente a mudanças. Para Gabriel os comentários no Google My Business têm tanta importância como os presenciais, mas têm uma vantagem: “como é digital e não cara a cara, ali as pessoas dizem realmente o que pensam - sabemos que o feedback é genuíno”. E dá exemplos de como isso mudou alguns aspectos do café-livraria. Gabriel diz que um dos comentários mais escritos foi que os clientes gostariam que a abertura fosse mais cedo, que foi “algo que começámos a fazer fruto desta interacção que o Google My Business nos deu”. A prova que um negócio tradicional pode também ser um negócio de futuro.


Oiça também o podcast: