Chuva trazida por “rio atmosférico” põe todo o país em alerta

Fenómeno de que resulta “chuva persistente, por vezes forte” atinge Portugal continental a partir desta quinta-feira e durante todo o fim-de-semana. Precipitação é acompanhada por uma descida das temperaturas máximas, mas um aumento das mínimas sentidas durante a noite.

Foto
Andre Rodrigues

A chuva prevista para Portugal a partir desta quinta-feira vai pôr 14 distritos sob aviso amarelo, estendendo-se aos restantes quatro na sexta-feira, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O calor e sol de Outono no país estão e chegar ao fim, com o tempo seco e ameno sentido nos últimos dias em território nacional a dar lugar a tempo chuvoso, acompanhado de uma descida das temperaturas mínimas. Ângela Lourenço, meteorologista do IPMA, confirmou ao PÚBLICO as previsões e explicou que estas apontam para a ocorrência de um padrão meteorológico conhecido como “rio atmosférico”, uma situação que resulta “em chuva persistente, por vezes forte”.

De uma forma simplificada, este “rio atmosférico” consiste “na aproximação de uma sequência de ondulações frontais” que vão afectar Portugal continental durante quatro a cinco dias – do final da tarde desta quinta-feira até segunda-feira. “A superfície frontal fria que vai ondulando está associada a uma massa de ar tropical muito quente e com grande conteúdo de água”, o que origina as precipitações “persistentes e fortes, localmente”, clarificou a meteorologista.

De acordo com as previsões do IPMA, a chuva vai assolar de forma desfasada as diferentes partes do país, afectando mais o Norte e o centro numa primeira fase e, para o fim-de-semana, o centro e Sul. A altura do dia em que as chuvas são mais intensas também está dependente da “aproximação destas ondulações”, pelo que os episódios de maior precipitação podem ocorrer tanto durante o dia como à noite.

Ângela Lourenço esclarece que este fenómeno “está perfeitamente dentro daquilo que é comum acontecer no Outono”.

Relativamente às temperaturas, vai verificar-se uma descida das temperaturas máximas devido à existência de nuvens, pelo que o sol “deixa de ser predominante”. No entanto, tratando-se de uma massa de ar tropical, a descida “não é tão significativa” quanto isso – e há até prevista uma subida das temperaturas mínimas sentidas durante a noite.

“O que se vai notar é que as noites vão ser mais amenas. Nos últimos dias tivemos noites mais frias”, resultando numa “diminuição da amplitude térmica” entre os dias e as noites.

A chuva vai pôr sob aviso amarelo, entre as 17h de quinta-feira e as 3h de sexta-feira, os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Leiria, Setúbal, Lisboa e Santarém. O aviso é estendido a Portalegre, Évora, Beja e Faro a partir das 00h de sexta-feira e até às 6h de sábado – demonstrando a deslocação das chuvas mais intensas para o sul do país.

O IPMA prevê também vento moderado a forte nas terras altas a partir desta quinta-feira, bem como “na faixa costeira, onde soprará temporariamente forte e com rajadas”.