Rúben Amorim: “Eliminatória com Belenenses depende mais de nós”

Treinador do Sporting acredita que a equipa estará mais forte com o regresso de Pedro Gonçalves, que, ainda assim, precisa justificar a chamada num jogo em que a atitude dos “leões” terá sempre grande impacto no resultado.

Foto
Rúben Amorim assume titularidade de Pedro Gonçalves no Restelo, na Taça de Portugal LUSA/RUI MINDERICO

Rúben Amorim admitiu, esta quinta-feira, que o Sporting é mais forte com Pedro Gonçalves, que voltará à competição frente ao Belenenses, sexta-feira (20h45), no Estádio do Restelo, para a terceira eliminatória da Taça de Portugal, histórico emblema de Lisboa que disputa o Campeonato de Portugal, quarto escalão do futebol nacional.

Rúben Amorim não poderá contar com o defesa central Neto e, possivelmente, com Gonçalo Inácio, em dúvida, mas volta a dispor do médio, que entrará directamente no onze.

Em conferência de imprensa de antevisão do encontro, o técnico dos “leões” anunciou que o avançado alinhará de início, admitindo um clima de felicidade no seio da equipa pelo regresso do melhor marcador da época passada.

“A equipa não está dependente do Pedro Gonçalves. É mais forte com ele, que tem características únicas e vinha de um bom momento. E isso tem mais impacto, porque estava a marcar muitos golos. Agora, o Sporting não está dependente do Pedro Gonçalves”, vincou Rúben Amorim.

A título de exemplo, o técnico lembrou que o Sporting “tem ganho” sem o médio, exceptuando a Liga dos Campeões. Amorim assumiu que este regresso “é uma boa notícia” também “pelo espírito e pela forma muito divertida com que se apresenta nos treinos” e ainda "pela qualidade que tem”.

“Essas características são essenciais numa equipa e, obviamente, que sentimos a falta do Pedro Gonçalves. Agora, ele tem de lutar e ganhar o lugar. Mas estamos felizes. Somos claramente mais fortes com o Pedro Gonçalves”, assumiu o treinador.

Por outro lado, perspectivando a hipótese de utilizar em simultâneo Pedro Gonçalves e Pablo Sarabia, o treinador garantiu que os “jogadores de qualidade são sempre compatíveis”.

“Têm características diferentes: mas ambos têm qualidade, marcam golos e fazem assistências. Têm é que merecer o lugar, que não está garantido”.

Antes de debruçar-se sobre o regresso de Pedro Gonçalves à equipa, Rúben Amorim apontou o discurso ao desafio frente ao Belenenses, numa competição que os “leões” encaram como “candidatos" à vitória.

A mensagem passada aos jogadores durante esta semana foi de que, apesar de o jogo ser frente a uma “equipa de uma divisão inferior”, o desfecho depende da forma como o Sporting "enfrentar o desafio” com o emblema do Campeonato de Portugal e que “isso vai ter um grande impacto”.

“Depende mais de nós do que do adversário, sabendo que hoje em dia todas as equipas são bem orientadas. É um clube histórico, num bom estádio. Uma viagem curta, o que também ajuda. Nesse aspecto tivemos sorte. Temos tudo para fazer um bom jogo, mas temos de ganhar”, concluiu Amorim.