OMS apresenta receita com dez pontos para combater alterações climáticas

É preciso agir já e agora, com a saúde no centro das negociações relacionadas com a acção climática, alertam os profissionais de saúde. Relatório especial para a COP26 é acompanhado de carta assinada por representantes de 45 milhões de profissionais de saúde a exigir acção ambiciosa

Foto
MHJ/Getty Images

Uma carta assinada por representantes de 45 milhões de médicos e outros profissionais de saúde e um relatório especial da Organização Mundial da Saúde (OMS) apelam a que os decisores presentes na COP26 (Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas), que decorre em Glasgow na primeira quinzena de Novembro, coloquem a saúde no centro das negociações e que actuem já e com a máxima ambição possível, para combater as alterações climáticas. Com os dois documentos a salientarem que elas são “a maior ameaça à saúde da humanidade”, os profissionais avisam que sem uma mudança drástica, de sectores inteiros, e sem uma cooperação a todos os níveis, não será possível manter o aumento de temperatura nos 1,5 graus Celsius acima dos valores pré-industriais, como está previsto no Acordo de Paris, com os resultados catastróficos que já se conhecem.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários