Bottas vence pela primeira vez em 2021, Verstappen recupera liderança

Finlandês da Mercedes triunfou no Grande Prémio da Turquia, onde Lewis Hamilton recuperou de 11.º até ao terceiro lugar... para terminar em quinto, agora a seis pontos do comando do Mundial.

Foto
Valtteri Bottas venceu o GP da Turquia e conseguiu o ponto extra da volta mais rápida, que juntou à pole position "herdada" de Lewis Hamilton Reuters/MURAD SEZER

Valtteri Bottas (Mercedes) venceu este domingo o Grande Prémio da Turquia, 16.ª prova da temporada, conseguindo o primeiro triunfo em 2021, com o finlandês a impedir Max Verstappen (Red Bull) - que recuperou a liderança do Mundial de pilotos, com 262,5 pontos, mais seis do que Lewis Hamilton (Mercedes) - de conseguir uma maior vantagem para o britânico, que terminou a corrida em quinto, atrás de Sergio Pérez (Red Bull) e Charles Leclerc (Ferrari).

Lewis Hamilton esteve na iminência de terminar no pódio, numa estratégia arriscada de aguentar os pneus intermédios de princípio a fim (só Esteban Ocon, da Alpine, o conseguiu), táctica abandonada a sete voltas do fim, para grande frustração de Hamilton, que caiu de terceiro para quinto e esteve em risco de ser ultrapassado por Pierre Gasly (Alpha Tauri).

A Red Bull acabou por colocar os dois carros no pódio, deixando o francês Charles Leclerc, que tentou a mesma estratégia de Hamilton, na altura em que liderava a prova, no quarto lugar, depois de ter estado muito perto de espreitar um dos lugares do pódio.

Valtteri Bottas teve, finalmente, um fim-de-semana perfeito, “herdando” a pole position de Hamilton, mantendo o primeiro lugar na partida, registando a volta mais rápida e vencendo o primeiro Grande Prémio da temporada, o que lhe permitiu reforçar o terceiro lugar no Mundial de pilotos, com 177 pontos, mais 32 do que Lando Norris (McLaren).

Bottas conquistou 26 pontos, o que somado aos 10 de Hamilton rendeu mais três pontos na luta com a Red Bull (conseguiu 33), que fica a 36 pontos da Mercedes.

Destaque para os Ferrari, com Leclerc a cair três posições muito perto do final e Carlos Sainz, que saiu do último lugar da grelha de partida, cumprindo penalização por troca da unidade motriz, a concluir a corrida em oitavo.