Sismo na ilha grega de Creta faz um morto e nove feridos

O sismo de 5,8 de magnitude na escala de Ritcher ocorreu a 346 quilómetros a Sul de Atenas, com uma profundidade de 10 quilómetros. Foram registados vários danos especialmente em edifícios antigos.

Uma igreja danificada depois do sismo, em Roussochoria, no Leste de Crete
Fotogaleria
Uma igreja danificada depois do sismo, em Roussochoria, no Leste de Creta NIKOS CHALKIADAKIS/EPA
O sismo causou estragos na vila de Arkaloxori, na ilha de Creta
Fotogaleria
O sismo causou estragos na vila de Arkaloxori, na ilha de Creta NIKOS CHALKIADAKIS/EPA
Uma igreja colapsou na sequência do sismo na vila de Arkaloxori, ilha de Creta
Fotogaleria
Uma igreja colapsou na sequência do sismo na vila de Arkaloxori, na ilha de Creta STEFANOS RAPANIS/Reuters

Um sismo de 5,8 de magnitude na escala de Richter abalou a ilha grega de Creta na manhã desta segunda-feira. Provocou uma morte e deixou pelo menos nove pessoas feridas.

O abalo foi sentido às 5h17 horas, horário local (7h17 horas em Lisboa), a 23 quilómetros de Heraclião, capital da ilha de Creta, onde a população saiu para as ruas, de acordo com o Observatório Geodinâmico de Atenas. Com profundidade de 10 quilómetros e magnitude de 5,8, o epicentro foi registado a 346 quilómetros a Sul de Atenas, notou o Observatório.

Segundo a emissora grega ERT, um homem que trabalhava na restauração de uma igreja ficou debaixo dos escombros depois de o edifício ter colapsado e ficado quase reduzido a ruínas, na vila de Arkaloxori, a Sul de Heraclião. O corpo foi recuperado pelas equipas de resgate posteriormente. Outras nove pessoas ficaram feridas na mesma vila.

“No momento, tivemos danos em prédios antigos e as pessoas saíram para as ruas”, disse Yannis Leontarakis, funcionário da Protecção Civil na ilha, à televisão pública ERT. As imagens divulgadas pela ERT mostraram danos, em particular o desabamento de casas antigas em Arkaloxori, em Creta, próximo a Heraclião.

Além dos danos provocados em Arkaloxori, as autoridades confirmaram terem sido registados danos materiais em edifícios das localidades de Archontiko, Roussochoria e Patsideros.

Entretanto, começaram a ser inspeccionados edifícios fundamentais como escolas e hospitais, notou Efthimios Lekkas, que dirige a organização de planeamento e protecção de sismos da Grécia “

“Estamos a pedir às pessoas que residam em edifícios antigos e danificados para permanecerem na rua. Isto porque uma réplica pode provocar um colapso”, disse Lekkas.

 A Grécia é atravessada por falhas geológicas importantes e os terramotos são frequentes. E este sismo “não ocorreu sem aviso”. “Temos vindo a registar actividade [sísmica] durante vários meses. Este foi um sismo forte, [o epicentro] não foi no mar, mas debaixo de terra, afectando áreas povoadas”, disse o sismologista Gerasimos Papadopoulos à ERT.