Sérgio Conceição encara jogo em Barcelos como um dos mais difíceis

Treinador do FC Porto elogiou organização do Gil Vicente, dizendo estar atento e decidido a manter a liderança à distância mínima.

Foto
Sérgio Conceição vai a Barcelos decidido a manter o "dragão" perto do líder do campeonato Reuters/SUSANA VERA

O treinador do FC Porto considerou esta quinta-feira que o jogo com o Gil Vicente, referente à 7.ª jornada da I Liga, “será uma das deslocações mais difíceis do campeonato”. Sérgio Conceição apontou as dificuldades que espera encontrar em Barcelos e salientou o que é necessário ter em atenção.

“O Gil Vicente é uma equipa consistente. Está no lote das cinco equipas com mais posse, um pouco à imagem do que é o Ricardo Soares, que lança sempre equipas muito bem organizadas. Não é fácil jogar contra as equipas do Ricardo Soares e, obviamente, estamos atentos “, disse o técnico dos “dragões” em conferência de imprensa da partida que se realiza esta sexta-feira (21h15), em Barcelos, entre o segundo classificado, com 14 pontos, e o Gil Vicente, sétimo da geral, com 8, numa partida arbitrada por Artur Soares Dias.

O técnico do FC Porto acrescentou que o Gil Vicente tem uma “frente de ataque interessante e um meio-campo de muita qualidade na posse e na fase da criação” e que, em termos defensivos, “toda a equipa trabalha num só sentido”.

O treinador da formação “azul e branca” abordou a aposta nos jovens da formação do FC Porto, mostrando-se orgulhoso com o trabalho que tem sido apresentado.

“Estou orgulhoso por ter jogadores que atingem patamares elevados. A equipa e o clube ganham com isso, mas esse é o meu trabalho. É a minha obrigação”, disse ainda.

Sérgio Conceição, que já poderá contar com Toni Martínez, depois do castigo cumprido frente ao Moreirense, confirmou que Marchesín e Pepe continuam ausentes devido a lesão. Sobre Fábio Vieira, acrescentou que “quando o vemos ganhar essa atitude e comportamento, que não tem a ver só com o treino em si... Todo esse trabalho e comportamento é invisível, e quando consigo incutir nos jogadores princípios fundamentais para o sucesso fico extremamente orgulhoso. Muitas coisas não têm a ver com o campo”, referiu.

O técnico foi ainda questionado se este seria o plantel mais equilibrado, em termos de opções, desde que chegou. Sérgio Conceição lembrou a equipa que tinha quando chegou ao FC Porto.

“Lembro-me que quando cheguei ao FC Porto tive um ano muito difícil. Praticamente não fizemos contratações. Foi só o Vaná, o guarda-redes, que já estava contratado antes da minha chegada. Mas tínhamos um plantel com Casillas, com Maxi [Pereira], Brahimi, Aboubakar e uma série de grandíssimos jogadores que vieram a confirmá-lo como referências no futebol europeu. Agora, o ter mais opções depende do que os jogadores derem”, explicou.

"FC Porto mais forte do que no ano passado"

Por seu lado, Ricardo Soares, treinador do Gil Vicente, quer conquistar pontos frente ao “FC Porto mais forte dos últimos anos”, alimentando-se “de sonhos, como qualquer ser humano”, embora considere que “mais do que um sonho, é um objectivo”.

O técnico gilista considera que o FC Porto está “mais forte que no ano passado”. “Está mais forte porque mantém o treinador há uma série de anos, o que é uma vantagem muito grande, porque conhece bem os jogadores e estes as ideias do técnico. O Sérgio Conceição personifica o que é o FC Porto. Tudo somado, este é o FC Porto mais forte dos últimos anos”, detalhou.

O Gil Vicente não vence há quatro jogos (duas derrotas e dois empates), mas o treinador vê outros números. “Em seis jogos para o campeonato, pontuámos em quatro, mais os dois da Taça da Liga. Fizemos oito jogos e não perdemos em seis. Isto, num clube como o Gil Vicente é meritório”.