Portugal adia acesso às Davis Cup Finals

Duas derrotas no domingo selaram o destino português na Taça Davis.

Foto
João Sousa EPA/PETER SCHNEIDER

Marius Copil foi o herói da eliminatória do Grupo Mundial 1 da Taça Davis, entre Roménia e Portugal, que decorreu em Cluj-Napoca. Depois de ganhar o primeiro singular na véspera e participar, domingo de manhã, no par que colocou os romenos em vantagem na eliminatória, o melhor tenista romeno da actualidade derrotou João Sousa e obteve o desejado terceiro ponto que irá levar a sua selecção à fase de qualificação para as Davis Cup Finals.  

“Estou super, super orgulhoso de mim. Conseguir três boas vitórias após um grande período sem jogar e não estando em grande forma faz-me muito feliz”, afirmou Copil (250.º), depois de vencer Sousa (150.º), por 6-3, 2-6 e 6-4. O romeno que em 2019 chegou ao 56.º lugar aproveitou o único break-point do terceiro set para desequilibrar o encontro.

Antes, o seleccionador Rui Machado tinha recorrido a Nuno Borges, estreante na prova, para formar uma inédita dupla com Sousa, mas Copil e o especialista de pares, Horia Tecau, precisaram somente de 72 minutos para vencer, por 6-4, 6-3, e colocar o resultado da eliminatória em 2-1.

Em consequência, Portugal irá discutir, em Março do próximo ano, a manutenção nesta segunda divisão do ténis mundial.

Nas Caldas da Rainha, terminou o Portugal Ladies Open, com o triunfo da chinesa Saisai Zheng (94.ª), que, na final, venceu a francesa Harmony Tan (129.ª), por 6-4, 3-6 e 6-3. O título no mais importante torneio feminino em Portugal foi o primeiro de Zheng desde a conquista do WTA 500 de San Jose, em 2019.