FC Porto derrota Moreirense com mão cheia de golos

Os “dragões” golearam o Moreirense, mostrando uma superioridade total sobre o adversário.

Foto
A festa dos jogadores do FC Porto EPA/MANUEL FERNANDO ARAUJO

O adversário era, teoricamente perfeito para quem vinha de uma partida da Liga dos Campeões. O Moreirense, em 12 visitas ao Estádio do Dragão, nunca tinha sequer conseguido um empate. Para além do histórico, este início de temporada está também a correr mal aos “cónegos”, que ainda não tinham ganho nenhuma vez nas cinco jornadas anteriores da prova e estavam com os mesmos pontos do último. E este domingo não foi excepção. Os “azuis e brancos” dominaram a partida e golearam o adversário por 5-0 com toda a naturalidade, não denotando sinais dos habituais efeitos secundários que jogos da Champions a meio da semana muitas vezes provocam a quem os joga.

A história da partida foi quase só a história dos golos. Apesar de o Moreirense ter iniciado o jogo dando sinais de alguma insurreição em relação ao favoritismo do FC Porto, o golo de penálti convertido por Taremi, pouco depois da primeira meia-hora colocou um ponto final nesses devaneios.

Sérgio Conceição promoveu algumas mudanças no “onze” mais tradicional do FC Porto. Precisamente para evitar, ao máximo, sentir os efeitos secundários do duelo com o Atlético de Madrid na quarta-feira passada, o técnico portista avançou com Wendell, Marcano, João Mário, Vitinha e Fábio Vieira nos lugares de Corona, Pepe (lesionado), Zaidu, Grujic e Toni Martínez (suspenso) — destaque para a estreia a titular de Wendell.

E o que se viu foi um domínio total dos “azuis e brancos”, que tiveram no colombiano Luis Díaz o grande responsável por conseguirem desequilíbrios na zona mais perto da baliza adversária e um dos melhores a aproveitar a profundidade, algo que foi mais notório no segundo tempo.

Depois de uma fífia de Diogo Costa nos minutos iniciais que quase deu golo para o Moreirense, o FC Porto tomou conta do jogo. O penálti surgiu numa altura em que a superioridade portista se tornava mais evidente e chegando ao intervalo na frente do marcador, o segundo tempo começou da melhor forma para os homens da casa, “tirando do jogo” o Moreirense.

Um erro de Pasinato (51’) num alívio de bola ofereceu ao colombiano a ocasião perfeita para que este aumentasse a vantagem portista e, numa finalização perfeita, Luis Díaz fez o 2-0.

Pouco depois, novo erro da parte do Moreirense. Uma perda de bola dos “cónegos” na área adversária, proporcionou um contra-ataque rápido e bem desenhado pelos “azuis e brancos”, com a bola a chegar novamente aos pés de Luis Díaz, que bisou na partida e “matou” o jogo (65’).

Já sem ilusões no que dizia respeito ao desfecho da partida, o Moreirense viu ainda o guarda-redes Pasinato oferecer mais um golo ao FC Porto, que assim chegava à goleada por intermédio de Taremi. Um remate de fora da área de Vitinha foi “sacudido” para a frente pelo guarda-redes brasileiro. Um erro que o iraniano aproveitou para se antecipar a toda a gente e fazer um “chapéu” a Pasinato (71’).

Sérgio Conceição fez então sair Luis Díaz, para a ovação, e geriu o seu plantel, retirando quem estava mais desgastado e dando mais alguns minutos a quem precisa de manter ou ganhar o ritmo competitivo. Um desses casos é o reforço Pepê, que voltou a ser suplente utilizado e, desta vez, com direito a festejar, já que nova transição rápida dos “dragões” após perda de bola do Moreirense permitiu ao brasileiro estrear-se a marcar pelos portistas e a fixar o resultado final.