Cultura

O “desabrochar” de Mariana Simão resultou numa exposição de arte abstracta

Lena Wan
Fotogaleria
Lena Wan

I woke up with my mouth filled with petals é o nome da exposição que reúne um conjunto de oito obras em tela, madeira e têxtil, da autoria de Mariana Simão, com a curadoria de Laura Fialho Almeida. Para além da exibição das peças no espaço Corrente, em Lisboa, a artista também fez uma intervenção nas paredes onde as obras estão expostas.

O mote para este projecto de arte abstracta surgiu com a pandemia e o isolamento social. "Tem a ver com a minha experiência pessoal, um processo introspectivo de confronto com algumas emoções”, explica a autora de 31 anos. Desta forma, a artista experimentou técnicas diferentes e testou novas cores, formas e texturas.

“Gosto de desconstruir para construir”, começa por explicar a lisboeta Mariana Simão, acrescentando que, durante o trabalho, é-lhe natural “experimentar e aceitar a beleza dos erros que vão acontecendo no processo”. É desta ideia que provém o nome para a exposição: um “desabrochar” a nível artístico, bem como a nível pessoal.

A exposição conta com obras em tela (Metamorfose, Desmontei tudo para escrever melhor e Montei tudo para dormir melhor), madeira (Escondi-me para pensar, Algumas cores não têm som, Um lírio para mim e Cestas com laranjas) e uma tapeçaria (Com o corpo todo). Para produzir as peças, a artista contou com a colaboração de dois artistas locais: Teresa Lucas, que fez a tapeçaria, e Federico Muebles, Sr. Fix, fez a moldura em madeira para Metamorfose.

A produção artística da autora abrange ilustrações de pequeno formato, telas e murais de maior dimensão. I woke up with my mouth filled with petals está patente no espaço Corrente, em Lisboa, até 16 de Setembro. 

Texto editado por Ana Maria Henriques

Lena Wan
Lena Wan
Lena Wan