Nasceram em 2001, quando “tudo mudou”. Como se vê o 11 de Setembro aos 20 anos?

Há 20 anos, duas torres ruíram e abalaram o mundo, que parou, incrédulo, em frente à televisão. No mesmo ano, nasceram Pedro, Sofia, Joana e Simão, para quem o ataque terrorista às Torres Gémeas é uma página dos livros de história, a partir da qual, sabem-no, se altera o rumo dos capítulos seguintes. Em 2021, contam-nos a sua versão do dia em que “tudo mudou”.

nova-iorque,jovens,11-setembro,eua,taliban,medio-oriente,
Fotogaleria
nova-iorque,jovens,11-setembro,eua,taliban,medio-oriente,
Fotogaleria
nova-iorque,jovens,11-setembro,eua,taliban,medio-oriente,
Fotogaleria
nova-iorque,jovens,11-setembro,eua,taliban,medio-oriente,
Fotogaleria

De atenção dividida entre a alcofa de Pedro, recém-nascido, e o antigo televisor, Elisabete acompanhava as notícias. De repente, levantou-se, deu dois passos e ficou a um palmo do televisor, incrédula, assustada. As Torres Gémeas do World Trade Center ruíram diante de si. Ficou presa ao ecrã durante toda a tarde, ansiosa. Guardaria durante décadas as imagens que chegavam de Nova Iorque. Ao seu lado, Pedro ignorava a transformação do mundo.