“Bioengenharização”

Da reprodução artificial da vida à produção de vida artificial, as questões acerca do que é a vida e da sua exposição à “engenharização” tornaram-se mais turvas. Que novos seres para que mundo? E que lugar para os humanos?

O conhecimento (ciência) e domínio (técnica) que se tem vindo a ganhar sobre o que designamos por “vida” tem sido tão impressionante quanto paradoxal na medida em que, respectivamente, tanto possibilitou a construção de novas formas de vida como nos fez perder a noção do que é a vida. Diria que hoje nos é mais difícil definir a vida do que ontem, o que acarreta a permissividade de intervenção num domínio que se expande no apagamento de fronteiras.