As mentiras dos negacionistas – que cansaço!

O Governo que legisle. Nós, os governados, podemos ir expondo as contínuas mentiras dos negacionistas. E oferecer-lhes censura social.

Confesso-me com uma brutal fadiga pandémica. Estou a desenvolver um ódio acirrado às máscaras (já nem o facto de comprar peças reutilizáveis coloridas com estampados divertidos me reconcilia com as ditas). Preciso desesperadamente de retomar com normalidade a vida social. A sensação de claustrofobia de estar fechada em Portugal acentua-se (temo que quando me vir num avião para outras paragens vá abraçar, sem nenhum consentimento para isso, o pessoal de bordo). Cansada dos procedimentos burocráticos e ilógicos da DGS, sempre incapaz de perceber que as pessoas não são robots obedientes. Saturada do Governo a pôr culpas pelo aumento de contágio aqui e ali – os jovens que saem à noite (e fazem muito bem em sair; já sofreram de mais, de resto com enorme generosidade, com uma pandemia que afeta sobretudo outros grupos etários), os que festejaram o campeonato do Sporting, os lisboetas que teimam em passar os fins de semana noutros concelhos... – quando não impôs nenhum controle sanitário nas nossas fronteiras e permitiu que a variante delta da covid entrasse num Portugal com as portas escancaradas de boas-vindas.