Portugal pode ter mais de 85 mil mortes só por causa do calor em 2100

Estudo publicado esta quinta-feira no The Lancet Planetary Health analisou dados da mortalidade associados à temperatura, frio e calor, em 16 países, olhando para o passado, mas também com projecções para o futuro, apresentando o melhor e no pior dos cenários.

Foto
Em Portugal, entre 1998 e 2012, há um total de 8% de todas as mortes que pode ser associado à temperatura, seja ao frio ou ao calor bruno simoes castanheiro

As mortes associadas a temperaturas altas em Portugal representaram 0,83% de todos óbitos entre 1998 e 2012 – ou seja, mais de 12 mil pessoas. Mas podem aumentar 1,89% a meio deste século (entre 2035 e 2064) e mais 4,83% no fim do século (entre 2070 e 2099). Este é o pior dos cenários para Portugal, o que, traduzido em números absolutos, significará a meio do século mais de 40 mil mortes só atribuíveis ao calor e, no fim do século, mais de 85 mil mortes. No melhor cenário, o calor provocará cerca de 25 mil mortes a meio e no final do século.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários