Leos Carax, o mestre das marionetas sisudas

Não é a obra-prima prometida. Tem as suas ousadias, este musical composto pelos Sparks, com os fios de Adam Driver e Marion Cotillard manipulados por Leos Carax. Obra-prima espectral? Não, ópera rock sisuda.

cultura,david-lynch,cinema,culturaipsilon,festival-cannes,franca,
Fotogaleria
Adam Driver e Marion Cotillard em "Annette"
cultura,david-lynch,cinema,culturaipsilon,festival-cannes,franca,
Fotogaleria
Driver é um "stand up comedian", destrutivo; Cottilard uma cantora lírica, e salvífica

Não, não se é submetido à “lata” afrontosa de um David Lynch no ponto Wild at Heart — isto para recordar um momento electrizante do património de Cannes, quando o Love me Tender de Sailor e Lula fez o céu e a terra, durante alguns segundos, trocarem de lugar na competição de 1990.